Uma cart…ahn, um bilhete…um post-it de reclamação

domingo, 29 / julho / 2007 at 2:49 am 43 comentários

Oi. O meu nome é Classe Média. Mas pode me chamar de Clá.

É o seguinte, eu queria vir aqui dizer pra todo mundo que isso que tá acontecendo no Brasil é um absurdo. Pensem: antigamente, quem queria sair de férias sabia com antecedência o que devia fazer. Tinha que ir numa agência de turismo, um lugar com mesas de granito e ar-condicionado, e saber quanto custava uma passagem de avião.  Normalmente tinha uma tabela. Manaus-Fortaleza-Manaus, Varig, nove mil cruzeiros. Ou seriam cruzados? Não lembro, faz tanto tempo. Mas era assim. Aí, você passava o cartão de crédito e parcelava a passagem.

Todo mundo vestia uma roupa quentinha, porque avião é frio que só. E, se a roupa não fosse quentinha o suficiente, a aeromoça te dava um travesseiro e uma mantinha.  E também tinha aquela comida esquisita, com uma carne branca que podia ser frango ou peixe que dava na mesma. Mas ao menos era quente…

E é por isso que eu venho aqui protestar. Não, não, queridos, meu protesto não é contra andar com os joelhos espremidos na cadeira da frente. Nem contra as barrinhas de cereais. Tampouco contra isso de ter que ficar entrando na internet de madrugada pra tentar comprar uma passagem baratinha, pois agora os preços mudam duas ou três vezes por dia, não é mesmo?

Essas coisas de desconforto a gente até aguenta. Afinal, o importante da viagem é chegar no destino, não é mesmo? A gente se aperta um pouco, leva um pão com queijo dentro da bolsa, ninguém aqui é retirant….ops, ninguém aqui precisa ficar enchendo o bucho a dez mil metros de altura.

Eu já agradeço ao papai do céu todo dia que tive sorte de nascer numa casa que tinha colchão, lençol e TV pra eu ver o Fantástico. Jä foi uma tremenda sorte, e no mundo em que a gente vive, há que se ter sorte, não é mesmo? Porque você pode nascer num lugar civilizado como a Hungria, mas também pode ter azar e nascer num Burundi ou Burkina Fasso, e aí você já tem pontos negativos na corrida. Se você nasce num lugar feito o Brasil, você pode ter a sorte de nascer no Sãopaulominasriodejaneiro ou o azar de nascer em Itamarati, aí já viu, tá lascado. Então, eu tenho a sorte de nascer num patropi, abençoá por Dê, uma potência no esporte, tu viu na ginástica, quanta medalha? Mas do que eu tava falando? Ah, sim, eu tenho a sorte de ter nascido Classe Média, assim, sem morrer de coqueluche aos cinco anos nem correr o risco de escrever casa com “z” aos vinte e três. Tive a sorte e uma ajuda dos meus pais, que não eram bobos e pagaram minha aula de reforço, meu cursinho do vestibular e a mensalidade da PUC. E, além de sorte, a gente tem que ser esperto nessa vida. Então, eu, muito esperta que sou, sempre dei um jeito de não ter problema. O mendigo vinha pedir, eu fechava o vidro do carro pro problema dele não pegar em mim. A criança de rua tava se tremendo no chão, eu chamava o guarda pra levar aquele cheira-cola embora logo. Porque de problema, já bastam os meus problemas de classe média, como pagar a licença-maternidade da empregada.

E eu vinha sendo bem feliz nessa tarefa de evitar os problemas. Nem sempre eu consegui, não é mesmo? Quando o Collor confiscou a poupança, foi um problemão… E quando não tinha novela que prestasse, eu quase tomei consciência social por um momento, foi horrível, nem é bom lembrar. Aquela época de ficar andando em favela e ouvindo as Valdicreuza reclamando dos Uóxiton que batiam nelas. Mas isso passou logo, quem tem filhos pequenos precisa providenciar o dinheiro da creche, não é mesmo?

E por isso eu vim aqui dizer que isso de caos aéreo é muita sacanagem. Seca no nordeste, desmatamento da Amazônia, analfabetismo funcional, hospital de pobre lotado? Francamente, quem se importa? Esse pessoal não faz diferença nenhuma, não é mesmo? Tanto que o Brasil vive há trocentos anos com eles na merda, e nunca aconteceu nada de mais. A inflação que era ruim acabou, a censura que era ruim também acabou. E o país tava indo tão direitinho, eu via a novela toda noite e viajava uma vez por ano, pra esquecer das coisas ruins. Porque isso de pobreza é errado, não é mesmo, mas quem é que vai conseguir mudar isso que tá aí, não é mesmo?

E agora, isso é um absurdo. Esse país tem todo o direito de dar problema, desde que não seja COMIGO. E essa palhaçada de ficar dormindo no chão (como mendigo), andar pra lá e pra cá sem informação nem saber quando vou sair de lá (como pobre em hospital)  e ver pessoas iguais a mim morrendo de uma maneira estúpida (como os ribeirinhos que vêem os filhos e amigos morrendo de malária e sarampo) é um absurdo. Nem sei mais o que dizer, li na Vejinha que é um absurdo e eu acho um absurdo mesmo.

Por isso, acho que chegou a hora da sociedade organizada, espiritualizada e limpinha brasileira dar um basta nessa situação.Vou protestar contra a injustiça que é ser tratado como cidadão brasileiro comum. Não sei se acendo umas velas no saguão do aeroporto, ou se coloco um nariz de palhaço. Acho que a imprensa precisa ser avisada, afinal, muitos jornalistas são Classe Média como eu e viajam de avião também.  Sei que a primeira funcionária subalterna que aparecer nesse balcão vai ouvir esse meu grito que está engasgado na garganta. “CHAMA O GERENTE DESSA PORRA!”

********************

[Estou irritadíssima com toda e qualquer porra de demonstração de indignação com esse tal de caos aéreo dos infernos, que nada mais é que reflexo de toda a incompetência de VÁRIOS governos e empresários. Irritadíssima com o destaque que a imprensa deu pro acidente durante dois dias, e voltou a cobrir normalmente as medalhas do PAN. Irritadíssima com os comentários idiotas dizendo que esse país ficou uma desordem, sendo que o país e o mundo e o CARALHO A QUATRO sempre foram uma imensa desordem, uma imensa injustiça, uma imensa confusão, uma imensa ciranda de gatos puxando as sardinhas pras suas respectivas brasas. ]

[E mais uma prova que o país é uma desordem em várias áreas, camadas e abordagens: Sandro Viana, amazonense como eu, deu a arrancada final e ganhou o ouro junto com a equipe do revezamento 4×100 m. Ele vendeu moto, carro, fogão, geladeira e com certeza mais alguma coisa na casa dele pra conseguir viajar pras classificatórias em São Paulo. Ah, Sandro. Se você tivesse nascido na Hungria, ia ser diferente. Mas eu não sei te dizer se ia ser melhor.]

Anúncios

Entry filed under: blogosfera.

Ulha ali de repente, maninho. Voltando devagarinho

43 Comentários Add your own

  • 1. Que tal um ponto de vista diferente… « Casa da Daniela  |  domingo, 29 / julho / 2007 às 1:52 pm

    […] 29, 2007 · Arquivado em No blog alheio … sobre essa zona que está […]

    Responder
  • 2. Daniela  |  domingo, 29 / julho / 2007 às 1:52 pm

    Gostei. Linkei!

    Responder
  • 3. Cily  |  domingo, 29 / julho / 2007 às 7:12 pm

    Uma verdadeira zona. Sem mais.

    Responder
  • 4. Mamy  |  domingo, 29 / julho / 2007 às 10:18 pm

    Ai, Evinha… brilhante seu texto. Que miopia é essa que não permite esse povo ver que tá tudo muito bagunçado em todas as esferas?

    Responder
  • 5. vera  |  segunda-feira, 30 / julho / 2007 às 9:26 am

    menina, eu nao acredito que voce tem 23 anos, nao acredito! quer ser minha mãe e me ensinar as coisas?

    beeeeijos

    Responder
  • 6. Vivien  |  segunda-feira, 30 / julho / 2007 às 12:39 pm

    minha querida, eu estava conversando sobre isso ontem!!!!
    post lúcido, lindinha.

    Responder
  • 7. Fátima Franco  |  segunda-feira, 30 / julho / 2007 às 3:03 pm

    Eva:
    demais! Demais!!!
    Tô passando prá frente!!
    bjs

    Responder
  • 8. Andrea Toledo  |  segunda-feira, 30 / julho / 2007 às 3:47 pm

    Fantástico!!!!!

    Responder
  • 9. leonor cordeiro  |  segunda-feira, 30 / julho / 2007 às 3:56 pm

    Gostei demmmaaiisss!
    Vou enviar para várias amigas .
    bjs

    Responder
  • 10. Sintian  |  segunda-feira, 30 / julho / 2007 às 4:35 pm

    Como é bom ver escrito o que a gente pensa!
    Parabéns

    Responder
  • 11. Carol Mozão  |  segunda-feira, 30 / julho / 2007 às 6:58 pm

    Uma das melhores coisas que li sobre essa “crise”.
    muito bom mesmo!
    beijo!

    Responder
  • 12. Vanessa  |  segunda-feira, 30 / julho / 2007 às 9:03 pm

    Eva sou sua fa!
    Genial, mesmo, genial
    beijos

    Responder
  • 13.  |  segunda-feira, 30 / julho / 2007 às 11:26 pm

    Puxa vida, não? Adorei ver as coisas sobre esse prisma… real!
    Muito bom!

    Responder
  • 14. Teresa  |  terça-feira, 31 / julho / 2007 às 6:57 am

    Muito bem escrito! Adorei! Vou voltar.

    Responder
  • 15. Helena  |  terça-feira, 31 / julho / 2007 às 9:54 am

    Show de bola, Eva. é minha primeira vez aqui – vim indicada pela Vera Guimarães – e foi uma estréia inesquecível. Faço minhas as suas.
    Aquele Abraço!

    Responder
  • 16. Louise  |  terça-feira, 31 / julho / 2007 às 12:04 pm

    Olá, Eva,

    como você está?

    Gostei do depoimento….

    Depois pasa no meu fotolog que tem uma foto nossa em frente ao bar que fomos em Manaus…a foto está ótima. http://www.gigafoto.com.br/louisestorni

    Um grande beijo,
    Louise.

    Responder
  • 17. Bela  |  terça-feira, 31 / julho / 2007 às 3:35 pm

    Uau, Evinha!
    Tá muito bom mesmo de verdade!
    Pode fazer corrente, com os devidos créditos, ficórse?!
    Beijos,
    Bela

    Responder
  • 18. Alline  |  terça-feira, 31 / julho / 2007 às 5:02 pm

    ARRÁ-Urrú, a Evinha é nossa…
    Lindona, a Vera tem razão, é impossível vc ter a idade que tem. Eu sempre disse que acreditava que vc tivesse nascido com 30 anos já…assim, agora, vc teria 53. Aí sim, faz todo sentido!

    Agora, totalmente off-topic, minha irmã ali em cima dando pinta? Colocando fotos de vcs no fotolog? Tô achando um abusoooooooo. Inveja, eu?

    Bjos, linda, seu post está sensacional.

    Responder
  • 19. Janaina  |  terça-feira, 31 / julho / 2007 às 6:20 pm

    adorei

    Responder
  • 20. LuciDo  |  quarta-feira, 1 / agosto / 2007 às 12:50 pm

    Tomei a liberdade de encaminhar pra umas pessoas que conheço.
    Vc devia ter feito jornalismo evita…

    Responder
  • 21. Vivien  |  quarta-feira, 1 / agosto / 2007 às 9:38 pm

    tem uma coisa pra vc no meu brógui.0)

    Responder
  • 22. Patrícia Köhler  |  quarta-feira, 1 / agosto / 2007 às 11:54 pm

    Arrasou, pra variar. O Clovis Rossi tinha que ler isso.
    Cansei também, Evinha. É, a Clá anda muito emburradinha e irritadiça de semanas pra cá. Tadinha. Disney pra ela e um carro zero pro filho que acabou de entrar na faculdade e tudo se ajeita.

    Responder
  • 23. FIAPO DE JACA » PRAZER, TE AMO  |  quinta-feira, 2 / agosto / 2007 às 11:34 am

    […] “Uma cart…ahn, um bilhete…um post-it de reclamação“, post da Menina Eva, autora do blog “Coisas de […]

    Responder
  • 24. Patrick  |  quinta-feira, 2 / agosto / 2007 às 6:27 pm

    Fantastico!!!

    Gostei muito desse seu post. Quem sabe eu nao viro leitor frequente aqui? 😉

    Ponto de vista sensacional. Disse tudo que muita gente precisa escutar…

    Abracos!

    Responder
  • 25. Elza  |  quinta-feira, 2 / agosto / 2007 às 11:08 pm

    Olá!!
    Vim deixar meus parabéns pela sua indicação ao prêmio blog 5 estrelas.
    Este blog é muito criativo, parabéns!
    merece!
    =]

    Responder
  • 26. Thaiza Montine  |  sexta-feira, 3 / agosto / 2007 às 9:31 pm

    Boa noite, e perdão pela “invasão”, mas não tinha como começar a ler este teu texto e não terminar!Concordo e assino embaixo, viu?!
    Revoltadíííííssima também com essa situação toda da forma como está, com essa descentralização das coisas realmente preocupáveis neste país para algo que já estava desorganizado faz teeeeempo!!
    Excelente texto, excelente ponto de vista!
    Estás de parabéns!!!
    []’s
    p.s.:posso linká-la em meu “cantinho”??

    Responder
  • 27. Gládis  |  sábado, 4 / agosto / 2007 às 9:41 am

    Parabéns!
    Vou indicar seu texto a muita gente que precisa refletir um pouco mais antes de sair reclamando por aí…

    Abraços
    Gládis

    Responder
  • 28. poetamatematico  |  sábado, 4 / agosto / 2007 às 1:54 pm

    vou elogiar não. Vou falar q foi uma porcaria….

    rsrsrs

    pq todo o resto o povo já falou aí em riba

    Beijos

    Responder
  • 29. ana p.  |  sábado, 4 / agosto / 2007 às 9:55 pm

    Posso imprimir e mostrar pras pessoas lá de onde eu trabalho??? Pra eles pararem de ficar reclamando nos meus zuvido???

    Brigada!

    Vc é linda!

    Responder
  • 30. Bel  |  quarta-feira, 8 / agosto / 2007 às 12:42 am

    Esse merece mesmo ser impresso, ou distribuído como “corrente” pela net. Posso???

    Responder
  • 31. policarpe  |  quarta-feira, 8 / agosto / 2007 às 1:33 pm

    Muito bom seu texto Evinha…é bom ver que existem brasileiros que tentam nadar contra essa imensa maré de hipocrisia que está tomando conta do país.

    Resposta ao seu comentário:
    Mas não é para esquentar meeeesmo minha querida, é para ficar feliz com a “ida” tardia de um verme como o ACM….O Fernandinho Beira-Mar é fichinha perto desse aí….que dirá alguma pessoa que eu conheço, mesmo em algum eventual acesso de crueldade, não chega nem perto…rsrsrsrsr
    Mas na verdade, acho que temos que “esquentar” com isso sim, é isso que diferencia as pessoas o quanto elas “esquentam”, se incomodam com essas coisas. Incômodo do qual eu compartilho e que vc demonstrou neste Post.

    Obrigado por esquentar com isso tb e parabéns pelo Post.

    Beijos

    Responder
  • 32. conversacruzada  |  quarta-feira, 8 / agosto / 2007 às 8:32 pm

    Quando o amor vos fizer sinal, segui-o; ainda que os seus caminhos sejam duros e escarpados. E quando as suas asas vos envolverem, entregai-vos; ainda que a espada escondida na sua plumagem vos possa ferir.

    Gibran Khalil Gibran

    Gostei de tudo..! Parabens!
    Achei seu blog do nada.. passeando pela NET.
    Tamos ai! Bjao e boa sorte em tudo!

    Responder
  • 33. policarpe  |  quarta-feira, 8 / agosto / 2007 às 11:17 pm

    Se merecem viver eu não sei, mas que nós estamos Fud…..enquanto eles vivem à custa da nossa desgraça isso é….Por isso eu tenho nojo desse povo…Morte é pouco p esses miseráveis. Desculpe se estou sendo muito agressivo mas fico incomodado quando vejo as pessoas se conformarem com isso ao longo dos séculos. Esse felizmente não é o seu caso.
    Relaxe querida…ninguém aqui está apontando dedo p ninguém, temos esse direito, até deveríamos fazer isso mais vezes…se não ELES fazem isso e de modo muito mais brutal.
    Beijooooooos

    Responder
  • 34. Paula Clarice  |  quinta-feira, 9 / agosto / 2007 às 12:05 pm

    Eva, eu fico tao tranquila que tem vc nesse mundo pra ser a reserva de sensatez que a gente tanto precisa!!

    Beijoca

    PS: Passe lá no meu brógue e deixe seu comentário hahuahuahuuahahuahuahuahuauahuauhhau

    Responder
  • 35. Mariaelisa Guimaraes  |  sábado, 11 / agosto / 2007 às 6:40 pm

    olá, dê-me licença de escrever aqui, pois estou lendo você pela segunda vez hoje.
    Que posso eu dizer depois de ler um texto desses?
    Só querer estar omais perto possível de você.
    Ou o inverso, mas aí seria muita pretensão.
    =-=-=-=-=-=-
    Um abraço. Apertado.
    Meg

    Responder
  • 36. Menina G.  |  domingo, 12 / agosto / 2007 às 12:37 am

    aplausos! aplausos! aplausos!

    um tapa na cara muito merecido e bem dado na cara da classe média, me incluindo entre os que apanham!
    Parabéns pelo texto!

    Responder
  • 37. mayara de oliveira  |  quinta-feira, 30 / agosto / 2007 às 3:48 pm

    meu bilhete escolar bom não chegou ainda, estou precisando dele urgente para ir á escola.o dinheiro está curto preciso até o mês q vem.
    estudo na
    EE.ANHANGUERA

    Responder
  • 38. Michelle  |  domingo, 2 / setembro / 2007 às 3:17 pm

    Tô triste, triste, triste. Soube hj q o Alê da Fal morreu. Dia 27 passado. Passei por aqui pensando q Vc pudesse ter escrito algo a respeito. O texto tá ótimo. Eu é q não tô legal pra fazer a tietagem devida, mas vou mandar pra quem eu acho q deveria ler, por tb ser Clá ou por concordar com Vc.
    Cheiro!

    Responder
  • 39. Luciana  |  quarta-feira, 5 / setembro / 2007 às 2:47 pm

    ei, bonita, volte.
    mas se não quiser ou puder voltar, não volte.
    mas ao menos me mande um mail com seu endereço pra eu poder te mandar a fitinha verde do senhor do bonfim, sim?
    eu te amo, evinha.
    beijo.

    Responder
  • 40. dani  |  sexta-feira, 7 / setembro / 2007 às 9:28 am

    Olá,

    adorei seu blog!
    vc tem o ebook do caçador de pipas?
    Pode me enviar?

    Responder
  • 41. Lu Taddeo  |  sexta-feira, 7 / setembro / 2007 às 11:11 am

    Leio seu blog com freqüencia (desde a menina prodígio, rs), mas só agora sinto a necessidade de comentar: ATUALIZA!
    Nunca leu “O Pequeno Príncipe” não? Oras!

    Responder
  • 42. Nadja  |  sexta-feira, 7 / setembro / 2007 às 8:44 pm

    Binitinha,

    Adorei o seu texto sobre marinheiro de primeira viagem e as dicas valiosas para quem viaja pela primeira vez de avião.
    Sou uma dessas, pois morro de medo de subir naquele “trem”, ou melhor dizendo, naquele tréco de asas gigantes, pois tudo ali me assusta!!
    Altura, pessoas, ambiente fechado e agora mais do que nunca, essa onda de cai cai avião no chão…
    Mas tudo bem !
    Aos 40 anos, Adélia Prado citou: “Não quero a faca nem o queijo, mas a fome.” – então lá estarei nessa coisa voadora, bem na época do caos áereo.
    Suas dicas foram valiosíssimas, pode crer! Reacapitulei algumas e criei outras utilidades no meu caso. Veja:

    – Óculos escuros será essencial para encobrir os meus olhos fechados antes da decolagem…

    – Meu suéter cairá como uma luva pra me aquecer do frio que sinto qdo tô nervosa..

    – Chicletes pra disfarçar a tensão…

    – Livro pra afastar os chatos de plantão…

    Enfim, espero não dar bafão e após a decolagem, provar algumas balinhas pra amenizar o gosto salgado do interior da boca, típico de quem tá com adrenalina a mil…rsrs.

    Vê se posta, menina! Vc escreve muito bem! Adoro este tipo de escrita, verdadeira e sem fescuras.

    Thanks!

    Bjks

    Responder
  • 43. Pollyanna  |  terça-feira, 11 / setembro / 2007 às 3:45 am

    Shall I be proud of this friend of mine? =)

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Feeds

Aspas da Semana

Quando o amor vos fizer sinal, segui-o; ainda que os seus caminhos sejam duros e escarpados. E quando as suas asas vos envolverem, entregai-vos; ainda que a espada escondida na sua plumagem vos possa ferir. Gibran Khalil Gibran

%d blogueiros gostam disto: