Archive for maio, 2007

Aviso

Este blog vai ficar bons dias sem ser atualizado com frequência.Vou fazer minha monografia.

Aparecerei por aqui bem menos frequentemente, e nos blogs de vocês, menos ainda. Enquanto isso, vocês leiam a entrevista deliciosa que as Meninas do Cintaliga fizeram via msn comigo.

Se alguém tiver algum interesse em conversar comigo, saber notícias, essas coisas, o e-mail é blog[ponto]menin[arroba]yahoo[ponto]com[ponto]br.

P.S.: Vamos ver até onde vai minha autodisciplina. 😀 Espero conseguir postar ao menos uma vez por semana…

domingo, 20 / maio / 2007 at 11:58 pm 11 comentários

Fashion

Minha nossa, alguém por favor ajeite a estola desse homem!

papatorto.jpg

Ai, que aflição…

sexta-feira, 11 / maio / 2007 at 3:16 pm 13 comentários

[Monocromatismo]

Todo dia, ela acordava com o céu ainda escuro, tomava café preto e saía de casa. Esperava o ônibus numa parada acinzentada, subia no veículo cor-de-lata, pagava com dinheiro sujo e opaco e via o cobrador dar um sorriso amarelo.Entrava no prédio que tinha as paredes descascadas, sentava entre quatro divisórias cor de gelo e digitava o dia inteiro em um teclado bege.
Mantinha ao lado do computador um vasinho cheio de limo, com algumas plantinhas que, pela ausência de sol, não conseguiam ser verdes.
Almoçava um sanduíche gelado de pão com queijo, escovava os dentes com creme dental branco.

Às duas, três e trinta e quatro, quatro e vinte e sete e às cinco da tarde, bebia água em copos descartáveis.

Voltava pra casa às seis da tarde, o sol já estava escondido, deixando apenas aquela sujeirinha amarela na borda do céu.

Já em casa, trocava o jornal do fundo da gaiola dos passarinhos, dava uma olhada meio sonolenta na novela e ia escutar rádio.

Não se sabe bem o que aconteceu, mas naquela noite a estação de rádio que tocava o melhor da música instrumental chiava, chiava…E nada de conseguir uma sintonia. Ela acabou por desistir daquela estação, e procurou uma que sintonizasse direito.

Encontrou. Milton Nascimento inundou a casinha pardacenta: “Porque se chamava moço, também se chamava estrada…”, e ela pensou em tirar férias, pegar uma estrada bem longa, o vento nos cabelos…

Em seguida, Flávio Venturini continuou: “Cai o dia e é assim, cai a noite e é assim: essa lua sobre mim, essa fruta sob o meu paladar…” Ela pegou um lápis de cor verde-mar e começou a riscar as paredes de casa. Nenhum decorador aprovaria, mas ao menos estava colorido.

Quando o 14 Bis começou a pedir “Canta que te quero bem, brilha que te quero luz, andaluz…”, ela soltou os passarinhos da gaiola e fez surgir um arco-íris na ponta de cada dedo.

[este texto já havia sido distribuído por e-mail, para uma platéia seleta e especial, no dia 02.05.2006]

quinta-feira, 10 / maio / 2007 at 12:16 am 9 comentários

Uma triste conclusão

Tenho que concordar com o Alex, quando ele diz isso.

Foi uma mocinha linda, sorriso luminoso, pai advogado, escola particular. Se ele tivesse matado e estuprado uma mocinha morena e pobre,de cabelo ruim, que estava saindo de um forró e indo pra um motel junto com o macho da vez, ninguém ia dar a mínima. Talvez o Notícias Populares.

E já demitiram o diretor e vinte funcionários. Ó, não podemos permitir corrupção no serviço público. Claro que não. Não mesmo. Nunca. Nunquinha.

quinta-feira, 3 / maio / 2007 at 4:34 pm 10 comentários

Cochichando

Masoquismo na pizzaria.

No Morango com Gengibre.

P.S.: Agora o Google enlouquece de vez, hahaha. 🙂

quarta-feira, 2 / maio / 2007 at 4:40 pm 1 comentário

Margarida

Porque eu preciso sentir-me e ser uma Menina, com uma flor.
[Pra quem lê o blog pelo RSS: mudei o template.]

terça-feira, 1 / maio / 2007 at 4:39 am 9 comentários


Feeds

Aspas da Semana

Quando o amor vos fizer sinal, segui-o; ainda que os seus caminhos sejam duros e escarpados. E quando as suas asas vos envolverem, entregai-vos; ainda que a espada escondida na sua plumagem vos possa ferir. Gibran Khalil Gibran