Archive for fevereiro, 2006

Macio, Morno, Suave e Autoritário…

Fui contaminada.

É a SIUFU.

Síndrome do Útero Furioso.

****************

Sintomas:

* Todas as crianças mais lindas do mundo, aquelas que poderiam fazer capa de Pais & Filhos, bochechudinhas, sorridentes e cheirosinhas te olham e esticam os bracinhos pra você;

* Todos os cachorros, gatos e similares tiveram filhotinhos fofinhos e brincalhões, que ficam exatamente no seu campo de visão o dia inteiro;

* Você se sente GOOOZZZZZZZZTOZZZZZA (mesmo que NÃO esteja);

* Suas blusas decotadas começam a ver novamente a luz do sol;

* Todos os rapazes do Universo subitamente ficam morenos, de oclinhos e cabelo comprido (ai, ai), do jeito que você aprecia;

* Você conversa com suas colegas de trabalho sobre chupeta, mamadeira, fraldas, sopinhas, papinhas da Gerber e da Nestlè, Mucilon e Farinha Láctea;

* Cinco pessoas de suas relações estão grávidas/grávidos…E a Angelina Jolie também;

* Você SABE o que é Nenê-dent e Funchicória porque foi procurar no Google “cuidados com bebês”;

* Você FOI PROCURAR no Google “cuidados com bebês”. Ahn…e também “esquema vacinação infantil”, “bullying idade pré-escolar”…;

* Você ajuda a neta da sua cabeleireira a calçar o sapato, e se derrete toda quando ela vira e diz: “Bigada, moça!”;

* Pensando bem, você se derrete toda com bastante frequência…

* Você se flagra botando a mão esquerda nos quadris e a direita na barriga e olhando pro espelho “pra ver como ficaria”;

* Você sabe o valor de um fiapo vermelho grudado na testa;

* Você sente vontade de aprender a cozinhar. De verdade;

* Você tenta diminuir a quantidade de palavrões que usa (já falei disso aqui…)

* Você começa a sonhar com um programa de televisão que apresente números de arte com músicas educativas, figurinos feitos de fitas e maquiagem de palhaço;

* Você adorou o novo CD da Adriana Partinpim Calcanhoto;

* Você relê os textos teatrais infantis que você já interpretou;

* O filho do seu vizinho surge do nada andando de bicicleta, se joga na frente do carro da sua mãe, ela freia a tempo. Sua reação não é “MOLEQUE DOIDO FILHO DUMA ÉGUA!” – ao invés disso, você suspira e fala macio: “Criança, cuidado!”

* Você pensa que, oras, vinte anos é o ápice da saúde e da fertilidade, a mãe-natureza deve estar irritada com essa desobediência aos prazos dela.

* Você lembra de todos os testes de farmácia, todos os dias de apreensão, todas a pílulas do dia seguinte consumidas (não recomendo, aumenta o risco de câncer e me deu dor de cabeça)…e uma pergunta subterrânea se repete: “E se…?”

*******************
SIUFU.

Muito cuidado com ela.

Ela é sorrateira, sutil. Um dia, você percebe que seus genes estão a fim de se perpetuar, o útero grita, berra, se pudesse espernearia.

E você olha pro céu, azul e pan-americano, e se pergunta se conseguiria dizer o porquê dele ser azul, caso alguém de olhinhos castanhos e pequenos te perguntasse.

E você acorda pela manhã com dor nas costas e nas pernas, sem vontade de sair da cama e enfrentar a correria, os ônibus, o sono, as aulas, os telefonemas, os papéis e carimbos e assinaturas e tickets e tarifas e impostos e teclados e sapatos e brincos e batom e hipocrisias e discussões e incoerências…

E você simplesmente não tem coragem de viver aquele dia…

Você pensa na pessoa que um dia vai te perguntar “por que o céu é azul?”. E que pode ter alguém com olhos castanhos e pequenos ajudando a responder.

E você levanta da cama e vive mais um dia, e acaba sempre valendo a pena.

Anúncios

quinta-feira, 23 / fevereiro / 2006 at 12:20 am Deixe um comentário

Sábio Renato Russo.

“muitos temores nascem do cansaço e da solidão”

Tenho sentido tanto medo…

Tenho chorado muito sozinha.

Tenho me sentido muito cansada.

Mas vai passar, viu? 🙂 Eu tomo biotônico Fontoura e resolve.

quarta-feira, 22 / fevereiro / 2006 at 11:32 pm Deixe um comentário

Semana

Segunda: estresse no trabalho/lindo por-do-sol/estresse na faculdade com uma prova idiota/chegar em casa, entrar no msn e não ter ninguém lá.

Terça:estresse no trabalho/ dia de calor intenso com o ar-condicionado quebrado e janelões de vidro que deixam o sol amazonense entrar/ prova na faculdade sobre uma matéria que eu não estudei direito/ entrar no msn e ter a Rô (sem link pra rÔ, ela é normal e não tem blog. Ainda.), conversar com a Rô./ dormir.

Quarta: estresse no trabalho/ saber de um curso de dança de salão de graça e descobrir que não tem um partner pra você nem pra sua mãe/ mandar um e-mail desesperado implorando por dois homens que pudessem fazer o curso / mais estresse no trabalho/ aula estressante na faculdade/ dormir enquanto mamãe conta sobre o dia de trabalho/ dormir sem conectar.

Quinta: não ir pro trabalho/ viver um dia feliz e tranquilo na Universidade/ receber um telefonema amigo/ fazer uma prova PAVOROSA/ ir pra casa nocauteada após a prova. Não conectar.

Sexta: trabalho acumulado de dois dias/ ir fazer a inscrição no curso de dança de salão e tomar um chá de cadeira de quarenta e cinco minutos, por causa de informações truncadas/ descobrir que as vagas acabaram/ respirar bem fundo/ argumentar com calma (pela primeira vez na vida) e receber um dar de ombros como resposta/ sair MUITO FULA DA VIDA do lugar estressante da sexta-feira / chegar meia hora atrasada no retorno ao trabalho e receber olhares tortos/ trabalho acumulado de meia-hora de atraso/ tudo o que deveria ter chegado durante a semana chega às cinco da tarde de sexta/ saio atrasada do trabalho/ chego atrasada na faculdade/ participo de uma reunião produtiva, calmante e agradável/ perco minha aula favorita pra participar da reunião/ assisto a outra aula estressante de oito às dez de sexta-feira/ chego em casa/ não consigo conectar pelo terceiro dia seguido/ desmaio de roupa e tudo na cama.

Sábado: radiografia da face e nariz em jejum/ aula de inglês com um professor de língua presa até o meio-dia/ montar o mural de meio-dia às três, sem direito a almoço/ sair andando no meio da maior reserva florestal urbana da América Latina e ver paisagens lindas e borboletas monarcas/ sol na moleira/ almoço/ três horas de espera no salão de beleza/ unhas pintadinhas e doloridas/ alugar um filme da audrey hepburn/ entrar no msn enquanto os stones cantam na TV (mamãe gosta, eu nem tanto)/ postar algo no blog pra explicar a ausência e desabafar um pouco/ desconectar o computador e assitir My Fair Lady com mamãe, tomando suco de laranja/ descansar pela primeira vez na semana.

Volto amanhã pra postar, viu?

sábado, 18 / fevereiro / 2006 at 10:40 pm Deixe um comentário

Os primeiros e-mails que ele me mandou já eram lindos.

(29 de julho de 2004 – 07 dias depois da primeira despedida)

Olá Cheirosa! Eva dos grandes olhos ( olhos de engolir o mundo )!!

Bom, já que você comentou de memória, o que eu mais gosto de lembrar e dos seus olhos e do seu perfume. Ah, o seu perfume!E que pele macia e lisa você tem… Quando você vem prá cá, mesmo??

Dá para ver nos seus olhos que você é do teatro! Você pertence a ele! Isso é cativante! Gostaria de poder continuar nele também, mas um dia eu volto ao meu refúgio! Assim como você faz hoje, um dia eu volto a fazer: pego a minha máscara, caio na folia e viro rei! E o teatro vai me abraçar de novo. Sabe o que eu sinto? Que tão longe do teatro eu acabei deixando um adulto crescer em mim. Perto de você nesses três dias eu meio que me vi, quando o teatro era a minha vida. E isso me cativou também. E eu só posso te agradecer. Obrigado!

(14 de agosto de 2004 – 16 dias depois da primeira despedida)

Bom, você perguntou como é que eu posso ter as mesmas dúvidas, inquietações e pensamentos que você. A resposta dessas perguntas é simples: é porque eu sinto o mesmo que você.
Vou entrar agora na parte perigosíssima do e-mail.
Respondendo os seus feelings:

A) Também estou apaixonado por você. E foi difícil dizer isso. Eu li o seu e-mail na segunda feira, e mexeu muito comigo o que você me escreveu. Eu também me sinto como você se sente, só que eu passei essa semana pensando nisso, refletindo. Muitas vezes na minha vida me dei mal por me precipitar, e não quero que isso aconteça conosco. Pensei, pensei, e vi que o que eu sinto é exatamente isso: paixão por você. Estou apaixonado também.
K) O que eu digo para minha Eva? Estou apaixonado por você, Eva. Quero te ver, te abraçar e te beijar de novo. Sentir o seu cheiro e te fazer muitos carinhos. Conversar e rir com você, saber da sua história e dos seus sonhos.
N) Distância……… Maldita distância…………….
O) Eu não sei se algo mais via e-mail é possível. Só experimentando. E sim, eu quero. Eu quero você. E se por enquanto essa é a única maneira… Então eu vou abracá-la. E você não é boba.

(28 de agosto)

Confesso que me segurei em muitos trechos do filme, mas quando a D. Leocádia lê para Anita a carta da sua mãe, não deu…..Sei lá, é que esse negócio de filho sempre mexe comigo. Não posso ver comercial de margarina em época de dia dos pais que eu já fico pensando: “pô, se fosse comigo, eu já me desmanchava todo!”
No Anima Mundi, tinha algumas animações que eram muita arte, muito pensamento, teve várias que eu pensava: “Égua, a Eva ia gostar muito dessa!” Principalmente aquelas que envolviam muita poesia.
Iluminar, iluminar….Iluminar e só……
É um mês passou e o mistério persiste. Um mês e pouco, três dias e aqui estamos nós. Dois telefonemas (por enquanto), e eu sinto tudo tão vivo. Talvez seja mesmo um mistério, mas sei que vou senti-lo profundamente. Guardar você em meu coração, e esperar, e tramar, o nosso reencontro.
Também nunca acreditei nesse tipo de explosão. Para mim as coisas também se resumiam em costume. Esse sentimento é novo, e estou curtindo cada pedacinho dele, tanto as coisas boas quanto ruins nele. Também me achava racional, (aliás ainda acho que sou). Tenho que te confessar, me sinto meio Dom Quixote, lutando por minha Dulcinéia contra gigantes imaginários. O nome do meu gigante é Rio Amazonas. E ele é bem real.
Ah, e parabéns pra nós pelo dia do artista de Teatro. Viva!

(09 de setembro de 2004)

Sim, é o mesmo Schrödinger. Aliás, ele usou alguns dos preceitos da mecânica quântica para predizer a estrutura dos seres vivos. Em 1945, na publicação “What’s life?” ele disse que “era de se admitir que mudanças no arranjo estrutural determinam o sucessivo desenvolvimento de um ser vivo”. O lance do gato é mecânica quântica (física quântica por consequência), sobre que você não tem como saber o estado de um sistema quântico sem antes apicar um operador, portanto antes de aplicá-lo você assume que o sistema está de todas as formas possíveis ao mesmo tempo!!
Não acho que você escreva coisas banais. Acho que você escreve sobre as coisas que você ama (é até bíblico: “A boca só fala do que o coração está cheio”). Saboreio cada palavra do que você escreve, tento pescar pedacinhos de você, da sua personalidade e do seu caráter em cada letra. É normal a gente escrever sobre coisas do nosso trabalho . Não tem problema não.

(29 de setembro de 2004)

Gostei muito de você ter me ligado.Desculpa pelo prejuízo, mas mesmo assim gostei muito! Como você disse, é incrível – e ótimo – ,mas incrível como as nossas conversas continuam tão iguais a como eram em Cuiabá. É como se não hovesse distância, e isso não é mérito de Graham Bell. Isso é uma das coisas que mais me atraem em você: o quanto é bom conversar contigo. Suas palavras são doces, e amáveis, e os assuntos mil!
Às vezes fico pensando que se eu não tivesse te conhecido não ficaria triste quando lembro que você não está perto. Não haveria o conhecimento de que do outro lado do rio tem uma menina tão especial, e que viria a se tornar tão importante para mim. Mas também não teria conhecido uma pessoa como você, tão doce e carinhosa e inteligente e que, em contrapartida da saudade e da distância, me faz tão feliz quando lembro de teu riso, seus olhos, seus beijos e dos nossos maravilhosos três dias. Obrigado Eva, por você ter entrado na minha vida. Tem um pedaço do meu coração que está sempre contigo, assim como eu sei que carrego um pedaço do seu.

*****************

Ano passado, eu escrevi pra ele.

E vocês não fazem idéia, não fazem idéia, da gigantesca felicidade que está me inundando ao repetir esse gesto de abrir o editor do Blogger para homenageá-lo pela segunda vez.

Estou pensando nesse post desde que voltei de Belém, em dezembro.
E cheguei a uma conclusão importante: não preciso dar os parabéns a ele.

Quem tem de ganhar parabéns sou eu.

Parabéns, Menin@ Eva, por ter tido a HONRA de compartilhar de alguns passos no caminho desse rapaz espetacular.
Parabéns, por este ano e meio de relacionamento, ou por um mês, uma semana e um dia convivendo na mesma cidade.
Parabéns por Cuiabá, Belém, Brasília, Manaus, de novo Manaus, de novo Belém…e qualquer outra cidade que possa aparecer.
Parabéns por tê-lo conhecido com dezenove anos…e ainda estar com ele no dia em que ele faz vinte e um.
Parabéns, Menina. Você nasceu virada pra Lua. Sortuda duma figa.

********************

Parabéns, amado meu. Você não faz idéia da admiração e amizade que tenho por você.
Quando escrevi aquela lista, eu não tive dificuldades pra encontrar vinte motivos para amá-lo. Um ano depois, eu poderia encontrar facilmente mais vinte, quarenta ou sessenta. (Topa comemorar seus oitenta anos comigo?)
Bem, estou muito feliz. A Terra deu uma volta completa em torno do Sol, e nós dois estamos nela.
Juntos.
Mesmo distantes.

Postar letra de música é chavão, mas ó…Tem músicas que dizem TUDO.

No existe un momento del día en que pueda apartarme de ti…
El mundo parece distinto cuando no estás junto a mi.
No hay bella melodía en que no surjas tu, ni yo quiero escucharla si no la escuchas tu!
Es que te has convertido en parte de mi alma… Ya nada me consuela si no estás tu también.
Mas allá de tus labios, el sol y las estrellas… contigo en la distancia, amado mío, estoy.
(Contigo en la distancia – Cesar Portillo de La Luz – na gravação do Caetano em Fina estampa, que, quando eu tinha nove anos, escutava horas e horas e horas seguidas, sem sequer imaginar em sentir algo assim. )

sexta-feira, 10 / fevereiro / 2006 at 11:57 pm Deixe um comentário

Metalinguagem.

Você fala complicado – você diz –
Que nem um dicionário…

Pois saiba que eu apenas puxei ao meu Pai.

sexta-feira, 10 / fevereiro / 2006 at 3:52 pm Deixe um comentário

Quero mais…você não veio.

Não.
Não quero mais me machucar
Você não foi capaz
De acreditar num sonho em par

Você não foi capaz
De buscar algo mais
Tentar resgatar nossa paz

Não vou me enganar
Quero viver a vida como antes
Tentar resgatar aquele olhar, aquele meu sorriso…

Acordei!
Foi ruim….
Esperei pelo fim.

Vou atrás, vou com o coração
Nunca mais os mesmos beijos
Já mudei minha direção.
Quero mais…você não veio.

***********

Conheçam essa moça linda, de cabelo preto, um fio de voz, e bom gosto pra caramba na seleção de repertório.

Renata Gebara

A música do post se chama Quero Mais. Autores: Renata Gebara e Mauricio de Oliveira. Baixem essa música (é free).

Ouçam tudo na seção áudio, em especial Erasmo de Roterddam, de Chico Amaral e Samuel Rosa (cheia de bons amigos, a menina).
Essa carioca ainda vai dar o que ouvir.

quarta-feira, 8 / fevereiro / 2006 at 12:34 am Deixe um comentário

Surpresa

Eu sempre me achei feia e grosseira demais para despertar atenção em alguém.

Meus amigos vinham e iam em ciclos.

Eu passava os dias dentro da minha casa, ouvindo músicas das quais ninguém gostava, lendo livros que a ninguém interessavam.

Vivia aventuras fantásticas, emoções intensas e situações maravilhosas em minha imaginação. Era ganhadora do Oscar (várias vezes), amada por todos, agindo sempre com sabedoria, calma, educação, distribuindo conselhos e exemplos de vida.

Fora da minha imaginação, eu era uma menina feiosa, engraçada, faladeira e carente. Ninguém estava a fim de ouvir meus conselhos, ou seguir meus exemplos de vida.

Sempre achei que meu destino era viver só. Talvez criar um monte de cachorros numa casa com jardim, no meio de livros chatos e discos antiquados.

Sem ninguém que pudesse entender meu sentimento sem que eu precisasse explicar.

Cada vez que terminava um namoro, eu voltava à mesma tecla: nasci mesmo pra ficar sozinha. Não é pra mim essa história de “amor” e “companheirismo”.

E, por causa disso tudo, eu sinto uma felicidade muito grande, muito grande, quando vejo que não estou sozinha, e alguém entende meus sentimentos sem que eu precise explicá-los.

E ainda por cima, os explica pra mim.

E, mais ainda – sente igual.

Nunca fui tão feliz por estar enganada. Não nasci para andar sozinha – só precisava andar pelos lugares certos.

domingo, 5 / fevereiro / 2006 at 4:26 pm Deixe um comentário

Posts antigos


Feeds

Aspas da Semana

Quando o amor vos fizer sinal, segui-o; ainda que os seus caminhos sejam duros e escarpados. E quando as suas asas vos envolverem, entregai-vos; ainda que a espada escondida na sua plumagem vos possa ferir. Gibran Khalil Gibran